11/03/2017 às 00h02min - Atualizada em 11/03/2017 às 00h02min

Em MS, uma mulher é violentada a cada 11 minutos

Dados foram divulgados pelo MPE

Izabela Sanchez // foto: Henrique Kawaminami/Midiamax
Midiamax

 

Em Mato Grosso do Sul, uma mulher é violentada a cada 11 minutos. Os dados foram divulgados pelo MPE (Ministério Público Estadual) durante essa tarde. Levantamento do Ipea (Instituto de pesquisa econômica aplicada) a cada hora e meia, uma mulher morre no Brasil. A cada dois minutos, 5 mulheres são espancadas. E, a cada onze minutos um estupro acontece.

A Promotora de Justiça Luciana do Amaral Rabelo, titular da 72ª Promotoria de Justiça que atua na Casa da Mulher Brasileira, explica que em fevereiro de 2015 a dezembro de 2016, que registrou 23 mil e 772 atendimentos - constam manifestações judiciais, pedidos de prisão, pedidos de medida protetiva, audiência de custódia e atendimentos psicossocial e orientação jurídica.

De acordo com o MPE, em Dourados, distante 225 km de Campo Grande, os dados também indicam muita violência. Só no ano de 2016, foram registrados 909 boletins de ocorrências, já no ano de 2016, este número aumentou para 912. Ainda, no mesmo ano de 2016, teve 1.449 sentenças proferidas e 2.918 audiências realizadas. Para este ano de 2017, já tem 1.410 audiências agendadas.

Feminicídios

Em Mato Grosso do Sul os feminicídios dispararam entre 2015 e 2016. Em 2015 foram 16 casos, em 2016 esse número saltou para 34, um aumento percentual de 112,5%. Os dados da Sejusp (Secretaria estadual de justiça e segurança pública) também mostram que as tentativas de feminicídio aumentaram: 59 em 2016, contra 24 tentativas em 2015, 145% a mais. 

Outro aspecto é a localidade dos crimes, a maioria no interior do Estado: 76,47% dos casos. O cenário pode indicar a necessidade de políticas públicas no interior. A Casa da Mulher Brasileira (CMB) inaugurada em Campo Grande em fevereiro de 2015 - a primeira do Brasil -, foi uma conquista no combate à violência contra a mulher no Estado. Ainda assim, os dados indicam que os serviços ainda não contemplam Mato Grosso do Sul por completo.

Nesta sexta-feira (10), é julgado em júri popular Michel Leite de Carvalho, preso pelo homicídio da ex-mulher Juliana da Silva Fernandes, de 24 anos. Ele foi preso na época depois de todas as provas o apontarem como autor do feminicídio da esposa, ele é acusado de assassiná-la a facadas. Para ele, o fato de a ex-mulher terminar o relacionamento foi o suficiente para matá-la.

No dia 8 diversas mulheres, em Mato Grosso do Sul, no Brasil e no mundo realizam o 8M, uma paralisação, integral e parcial, das atividades trabalhistas. O protesto simboliza a reivindicação por direitos, na esfere pública e trabalhistas, mas também o fim da violência de gênero.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »