18/01/2018 às 09h11min - Atualizada em 18/01/2018 às 09h11min

Buracos na pista do Detran causam prejuízos e alunos reclamam de reprovação

Aluna reclamou para ouvidoria; Governo nega que tenha buracos

Liziane Berrocal
topmidianews

Quando nem a pista do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito) está em condições de tráfego fica mais difícil ainda para quem é aprendiz conseguir a tão sonhada CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e esse foi o caso de uma aspirante a motorista. Ela pediu para ter o nome preservado, mas resolveu que vai entrar na justiça para que consiga o documento. 

“Fui reprovada mais uma vez no exame, mas não me conformo porque eu investi muito na carteira de motorista, já era a terceira vez que eu fazia a prova e tinha o buraco, isso me deixou mais nervosa ainda”, conta a mulher que pediu para ter o nome preservado. 
Ela entrou em contato com a ouvidoria do Detran-MS porém recebeu uma resposta padrão. “Se não fosse esse erro eu teria passado, fiz um esforço imenso para nada”, reclama. 

Jogo de empurra

Enquanto alunos reprovam há um jogo de empurra-empurra para saber de quem é a responsabilidade pelo local. O Governo do Estado garante que não há nenhum buraco na pista do Detran-MS e sim “um declive acentuado (calombo) do uso do asfalto. O Detran está retomando a concessão de parte da pista que estava sob responsabilidade do Sindicato dos Centros de Formação dos Condutores de MS, e desta forma irá realizar os reparos necessários”, reforçando que “não há buracos na pista de Exame Prático”. 

Segundo a reportagem apurou, a área de exames do Detran de Campo Grande está sob administração do SINDCFC (Sindicato dos Centros de Formação de Condutores) mediante um termo de permissão de uso assinado entre o presidente Vagner Prado e a gestão passada do Detran-MS, que era representada pelo então presidente Gerson Claro que foi preso durante operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado). 

De acordo com fontes do próprio órgão, que não quiseram se identificar por medo de represálias, no termo fala que a obrigação de manutenção da área é do referido sindicato. “Acontece que estamos recebendo reclamações de alunos a respeito desta manutenção”, informou a fonte. 
Vagner Prado, presidente do Sindicato dos Centros de Formação de Condutores não foi encontrado para falar sobre o assunto. 

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »