22/07/2019 às 14h16min - Atualizada em 22/07/2019 às 14h16min

Michel Teló participa de campanha de vacinação contra hepatite na Capital

Cantor sertanejo participou da abertura da campanha com o ministro da saúde Luis Henrique Mandetta

BRUNA AQUINO E NATALIA YAHN
Correio do Estado
Michel Teló participou de vacinação simbólica nesta manhã em Campo Grande - Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

O cantor sertanejo Michel Teló que é embaixador do Movimenta Vacina Brasil em prol da campanha de vacinação contra a hepatite viral, participou da abertura de lançamento nesta segunda-feira (22) e falou sobre a importância da vacinação contra a doença que são inflamações causadas por vírus classificados por letras do alfabeto em A, B, C, D (Delta) e E que vitima todos os anos o Brasil, mais de 70% da população, segundo o Ministério da Saúde.

Na ocasião também haverá a implantação do programa Saúde na Hora na Unidade de Saúde da Família (USF) Iracy Coelho com a participação do Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta que vai anunciar novos recursos para Mato Grosso do Sul na ampliação a assistência à saúde da população.

Sobre a escolha de ser embaixador, o músico criado na Capital, disse que a conscientização dos pais é o fator principal do movimento. “Resolvi ser embaixador porque é um motivo muito nobre, vim aqui para Campo Grande, na minha terra para falar desse assunto, conscientizar os pais, eu que me tornei pai há 3 anos, acho importantíssimo prevenir doenças através da vacinação, eu a Thais a gente mantém a carteira de vacinação dos nenéns sempre em dia, é importante essa conscientização”, disse. 

Para Teló o exemplo da importância de vacinar veio de dentro de casa. “Meu pai por falta da vacinação ele teve um problema de paralisia infantil, então é um exemplo que eu tenho dentro de casa, acho importante tô junto nesse movimento pedindo aos pais, eu que sou pai hoje, sei da dificuldade de sair de casa, deixar o trabalho para levar o filho para vacinar, com a correria do dia a dia, a gente precisa ter essa consciência e os adultos, quem não se vacinou contra a hepatite vá ao posto de saúde se vacinar”, convidou o cantor.

A DOENÇA
Segundo o Ministério da Saúde, as hepatites virais são inflamações causadas por vírus que são classificados por letras do alfabeto em A, B, C, D (Delta) e E. No Brasil, mais de 70% (23.070) dos óbitos por hepatites virais são decorrentes da Hepatite C, seguido da Hepatite B (21,8%) e A (1,7%). O país registrou 40.198 casos novos de hepatites virais em 2017.  

O SUS oferece tratamento para todos independente do grau de lesão do fígado.
 

ESTATÍSTICA PANORÂMICA

Brasil registrou 40.198 casos novos de hepatites virais em 2017. O Boletim Epidemiológico 2018 do Ministério da Saúde informa que os casos da doença mais que dobraram em homens de 20 a 39 anos. De 1999 até 2017 são 718.837 pessoas notificadas com hepatites virais, 1.083.000 pessoas tiveram contato com o vírus da hepatite, o que representa 0,71% da população e 60,7% delas, 657 mil, são elegíveis para tratamento, ou seja, têm vírus circulante no sangue. A maior concentração dos casos está na população com mais de 40 anos de idade. 

Dados de 2019 serão apresentados nesta segunda-feira (22) pelo Secretário Nacional  de vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »