10/06/2020 às 10h29min - Atualizada em 10/06/2020 às 10h29min

Assassino de agentes da Derf era filho de policial militar e vigilante

Há informação de que ele poderia ter participação em um furto

Renata Portela e Ranziel Oliveira
midiamax
Policiais foram assassinados a tiros / Foto: Dayene Paz, Midiamax

Ozéias Silveira de Morais, de 44 anos, acusado de tirar a vida dos policiais civis Antônio Marcos Roque da Silva e Jorge Silva dos Santos, na tarde de terça-feira (9), era filho de um policial militar da reserva. A informação foi confirmada pelo delegado-geral Marcelo Vargas nesta manhã (10).

Segundo o delegado, Ozéias era filho de policial e também trabalhava como vigilante e seria testemunha de um furto, caso investigado pela Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos). Segundo o delegado Vargas, até então Ozéias era tratado como testemunha, mas há informação que ele seria suspeito de ter participação no crime.

Foi no momento em que era levado para prestar esclarecimentos na delegacia que ele sacou a arma de fogo que portava, que seria um revólver Taurus, e atirou contra os policiais civis. Os agentes foram atingidos na nuca, cada um com um disparo, e acabaram morrendo no local. Eles estavam no trânsito a caminho da delegacia, na Rua Joaquim Murtinho perto do cruzamento com a Avenida Fernando Correa de Costa.

Foi durante a madrugada desta quarta-feira (10), que Ozéias foi localizado, após fugir, roubar um carro, pegar um táxi e tentar se esconder na casa de uma conhecida. Ele foi encontrado por uma equipe da Derf na residência, no Santa Emília, e tentou atentar contra a vida dos policiais.

Fontes afirmam que Ozéias estava bastante transtornado. Os tiros foram revidados e ele acabou atingido. Foi socorrido e morreu no hospital. Além da arma de fogo, um simulacro de pistola foi apreendido com o acusado e o caso foi encaminhado ao Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros).

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »