06/04/2018 às 11h12min - Atualizada em 06/04/2018 às 11h12min

Morre aos 80 anos Amambaí, da dupla sertaneja que marcou a música de MS

Cantor estava internado no Hospital Universitário, há pelo menos 40 dias; Cecílio morreu de insuficiência respiratória, por volta das 5h

CAMPO GRANDE NEWS
Capa de um dos sucessos da dupla Amambai e Amambaí, em 1977 (Foto: Fernando Antunes)

Morreu na madrugada desta quinta-feira (6), aos 80 anos, o cantor Cecílio da Silva, mais conhecido como Amambaí, da dupla Amambay e Amambaí. Segundo familiares, o falecimento, registrado por volta das 5h, foi provocado por insuficiência respiratória após complicações de saúde.

Amambaí morreu no Hospital Universitário, em Campo Grande, onde estava internado há pelo menos 40 dias. De acordo com um dos filhos do cantor, Jean de Araújo Silva, de 31 anos, o artista realizava tratamento de problemas vasculares nas pernas e, após o terceiro procedimento cirúrgico, apresentou complicações.

“Ele, com certeza, sempre será meu exemplo de vida. Como pai não poderia ter sido melhor e era uma pessoa forte, aguentou três paradas cardíacas e sobreviveu até quando os médicos disseram que ele não resistiria”, relatou Jean ao Campo Grande News.

Ainda não há informações quanto ao velório do cantor. Familiares estão reunidos para resolver detalhes como o local e horário do sepultamento.

Integrante de uma das duplas pioneiras da música sertaneja em Mato Grosso do Sul, Amambaí começou na música aos 10 anos, em Bela Vista. Criança, já tinha a dupla "Campanha e Corumbá". Mas o primeiro grande sucesso veio com trio formado ao lado de Amambay e do sanfoneiro Zé Corrêa, com a canção "A Matogrossense", em 1969.

Atualmente, seguia com projetos musicais e buscava apoio para dar continuidade a desejos pessoais, agora separado do parceiro Amambay. “Ele estava cheio de projetos e corria em busca de patrocínio para realizar alguns deles”, afirmou Jean.

A parceria chegou ao fim há cerca de sete anos, mas juntos, os amigos dividiram palco por mais de 50 anos de carreira e gravaram 18 discos.

Amambaí diminui o ritmo de trabalho após a esposa, Ely Albuquerque de Araújo Silva, ser diagnosticada com Alzheimer. “Meu pai cuidava da minha mãe com muito amor e deixa uma lição de vida brilhante”, completa o filho do cantor.

Amambaí, em imagem de documentário3

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »