16/11/2020 às 08h05min - Atualizada em 16/11/2020 às 08h05min

Edilson Magro vence eleição em Coxim e interrompe hegemonia de Kohl e Mochi

Sheila Forato
Ediçãoms

A população foi às urnas neste domingo (15) e elegeu o advogado Edilson Magro (DEM) prefeito de Coxim. Ele, que tem o tucano Flávio Dias como vice, obteve 9.355 votos (53,15%), superando os números da pesquisa divulgada na semana passada pelo Edição MS.

Apesar de já ter sido vice-prefeito de Coxim, de 2013 a 2016, Edilson representou a mudança para a maioria dos eleitores, pois encarou o pleito contra candidatos que representam a continuidade e sem o apoio das duas principais lideranças políticas do município.

Numa eleição histórica, Edilson interrompeu a hegemonia de Moacir Kohl (PTB) e Osvaldo Mochi Junior (MDB), cujos grupos se revezavam no poder há 32 anos, ou seja, desde 1988, quando Flávio Garcia foi eleito prefeito de Coxim.

Desta vez, os dois caciques defenderam o projeto de Pedro Ronny Argerin (PDT), que até poderia ter representado o novo nas eleições de 2020, pois nunca se candidatou ou ocupou cargos públicos, porém, como citamos logo após as convenções, o pedetista carregou o peso (nos dois sentidos da palavra) dos apoios que recebeu.

Outros candidatos

Pela primeira vez, os eleitores de Coxim tiveram sete opções nas urnas. Pedro Ronny (PDT) ficou em segundo lugar, com 3.433 dos votos válidos, Carlão da Triângulo (PSD) garantiu a terceira colocação, com 1.946 votos. Em quarto ficou Vladimir Ferreira (PT), com 1.399 votos, em quinto Osiel Ferreira (Solidariedade), com 905 votos, em sexto Engenheiro Zanin (Republicanos), com 435 votos e sétimo Airton da Silva (PV), com 127 votos.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »